Nas últimas semanas Mark Zuckerberg, co-fundador da rede social mais famosa do mundo, anunciou uma drástica atualização do Facebook que promete tornar mais relevante o conteúdo do feed de notícias. O grande problema que a rede vem tentando resolver é a situação atual e poluída do feed do usuário.

Com o Facebook atualizado o usuário verá, segundo o anúncio, menos conteúdo público, incluindo notícias, vídeos e postagens de marcas. Além disso, ele propõe que os usuários sejam os auditores da credibilidade dos veículos de comunicação.

Já está imaginando o impacto dessa mudança? Então vem com a gente que vamos esmiuçar o assunto.

A nova atualização do Facebook

Com um feed de notícias mais relevante a ideia é que as pessoas possam controlar melhor as informações que consomem. O próprio Mark, em sua postagem, afirma que: “Há muito sensacionalismo, desinformação e polarização no mundo de hoje”.

Se você acha que as implicações dessa mudança são poucas, saiba que após o anúncio as ações da Rede recuaram em 3,54%, segundo a Bloomberg, o que significou a redução de quase 3 Bilhões na fortuna do empresário.

Reduzir a quantidade de notícias, principalmente as sensacionalistas e falsas, é provavelmente uma questão de utilidade pública. Mas afinal, quem definirá quais notícias ou veículos de comunicação têm mais ou menos credibilidade? Qualquer ação arbitrária neste caso poderia causar sérios problemas a empresa.

Pensando na melhor solução, Mark afirma que considerou algumas alternativas: ter uma equipe interna que tomasse essa decisão (mas que não se sentiriam confortáveis com essa decisão);  buscar peritos externos que fizessem esse trabalho (tiraria o problema das mãos deles, mas não resolveria a questão da objetividade) e pedir que os próprios usuários votassem (decisão que ele acredita ser mais apropriada).

“Nós decidimos que ter a comunidade determinando quais fontes são amplamente confiáveis ​​seria o mais objetivo”, Mark Zuckerberg.

Na postagem, o co-fundador afirma que selecionará um grupo “diverso e representativo” dos seus usuários, para quem irá direcionar as perguntas sobre a credibilidade dos veículos. Mas até o momento não informou os critérios para a seleção do público nem as perguntas que serão realizadas.

O Problema da Desinformação

Não é de agora que as chamadas “fake news” são um problema, mas pela primeira vez o empresário admitiu que sua rede pode ter contribuído para a amplificação desse problema. Segundo Mark, “a mídia social permite que as pessoas espalhem informações mais rapidamente do que nunca, e se não tratarmos especificamente desses problemas, acabamos amplificando-os.”

Alex Stamos, chefe de segurança do Facebook chegou a publicar  uma série de Tweets, em outubro de 2017, sobre a complexidade na criação de soluções técnicas, que podem ter consequências não intencionais de viés ideológico.

Atualização do Facebook

Em um de seus tweets afirma que “Ninguém de importância, nas grandes empresas, pensa que os algoritmos são neutros. Ninguém está ciente dos riscos”.

Ele é responsável pela investigação da empresa sobre o uso da plataforma social pela Russia nas eleições de 2016, que elegeram o presidente Donald Trump. Aliás, investigação essa que tenta descobrir o real impacto da compra de anúncios por entidades russas na última eleição presidencial dos EUA.

O impacto nas empresas

Quem trabalha com marketing digital, sabe o quanto essa atualização do Facebook pode impactar negativamente nos resultados esperados do mês. A partir das próximas atualizações da Rede, as publicações das páginas deverão ter menos relevância em relação aos posts de família e amigos no feed dos usuários.

A justificativa do CEO é que “Uma vez que há mais conteúdo público do que posts de amigos e da família, o feed afastou-se da coisa mais importante que o Facebook pode fazer: ajudar a nos conectarmos uns com os outros”.

Para os usuários, essa atualização significa um feed mais limpo de notícias, marcas e anúncios das empresas. A ideia é que o usuário receba mais informações de amigos, família e grupos.

Ou seja, se você é um anunciante, vai precisar repensar a qualidade, a relevância do conteúdo e investir ainda mais em anúncios. Uma das dicas, do próprio Facebook, é marcar a opção “ver primeiro” no feed de notícias, a página das empresas que você gostaria de continuar recebendo conteúdo.

Atualização do Facebook

Pois é, não tá fácil pra ninguém! É nessas horas que ter uma agência preparada e com uma equipe de especialistas faz toda a diferença. E então, o que achou da atualização do Facebook?

Quer saber como a Gruv pode te ajudar a manter a relevância na sua página? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como esse.