É incrível como a internet mudou completamente os hábitos de compra dos consumidores. Quase todas as pessoas que tem acesso a ela, ou seja, metade da população brasileira (106 milhões de usuários), utilizam a rede em algum momento do processo de compra, de acordo com o estudo realizado pela Boston Consulting Group (BCG).

A fase de descobrir e buscar marcas, produtos e serviços representa de 60% a 70% das pesquisas em sites, redes sociais e mecanismos de busca, como o Google. Por causa dessa tendência, o Search Engine Optimization (SEO) — otimização para mecanismos de busca — tornou-se imprescindível para qualquer empresa que entende a importância disso, e trabalha para ter sua marca nos primeiros resultados de pesquisa do Google. 

O problema é que, de tempos em tempos, surgem inverdades acerca das técnicas de otimização. Pensando nisso, a seguir vamos mostrar os 5 mitos de SEO mais conhecidos e explicar por que eles podem atrapalhar sua estratégia. Confira!

1. Os resultados são rápidos 

Se você está pensando que é rápido conseguir resultados positivos com o SEO, saiba que não é tão simples assim!  É necessário um tempo considerável para que os mecanismos de buscas tragam algum tipo de retorno. E isso depende de uma série de fatores, como as palavras-chave escolhidas, por exemplo.

Se você optar por palavras de grande concorrência, o trabalho para colocar seu site na primeira página do Google será muito maior (mas também compensador). Afinal, há outras empresas “buscando um lugar ao sol” com o mesmo termo. Uma boa solução é escolher palavras mais específicas e segmentadas, pois a concorrência tende a ser menor. 

2. Não é preciso melhorar nada depois de conquistar bons resultados

Depois de um árduo trabalho, você é recompensado e seu site está entre os primeiros colocados no Google. Maravilha! Mas aquele ditado “não se mexe em time que está ganhando” não vale para o SEO. É preciso sempre estar atento, monitorando e melhorando as estratégias.

Lembre-se de que os concorrentes estão fazendo isso o tempo todo e você pode perder a classificação para algum deles. Sem contar que frequentemente o Google altera seus algoritmos (regras) de ranqueamento dos resultados. Por isso, é necessário acompanhar as mudanças e novidades.

3. Todos os links externos são bons para o SEO

De nada adianta ter centenas de links externos recebidos de outros sites, se não são de qualidade. Quando falamos de qualidade, queremos dizer que alguns links recebidos podem ser derivados de páginas que nada tem a ver com o seu negócio. E se não há uma relação entre os temas, é provável que o Google enxergue que o conteúdo também não tem e entenda essa prática como uma tentativa de enganar seu algoritmo.

4. Meta descrições não são relevantes para o SEO

A meta descrição — também conhecida como meta description — é aquele texto exibido pelo Google nos resultados de uma pesquisa, contendo uma breve descrição sobre cada site. Na verdade, elas realmente não interferem no ranqueamento de uma página. Mas é fundamental para ajudar a convencer o usuário a clicar no seu site. Portanto, elas são sim relevantes para o SEO, de modo que influenciam diretamente na decisão das pessoas. 

5. Os links patrocinados interferem nos resultados orgânicos

Entenda: links patrocinados são aqueles que aparecem nos espaços pagos localizados no topo de uma pesquisa. Já os resultados orgânicos são tidos como os resultados naturais, ou seja, os resultados “não pagos”. Isso quer dizer que são estratégias distintas.

Mas podemos dizer que a interferência dos links patrocinados nos resultados orgânicos não é totalmente um mito. Isso porque os links patrocinados podem ter sim uma relação nos resultados orgânicos de maneira indireta como, por exemplo, na diminuição da taxa de rejeição ou aumento do tráfego. 

Aliás, investir nos links patrocinados  é uma boa ação de marketing digital, e é interessante trabalhar com as duas estratégias de maneira que uma complemente a outra. Mas é essencial entender que, apesar de contribuir, não tem influência direta nos resultados orgânicos.

Gostou do nosso post sobre os mitos de SEO? Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!