Diante da pandemia, causada pelo novo Coronavírus, e um cenário de crise econômica e sanitária jamais vistas, nos vem uma questão: As empresas estão preparadas para esses momentos?

Um grande pânico está se alastrando nas pessoas ao redor do mundo, insegurança na saúde, na alimentação, no mercado de trabalho, na economia. Como lidar com momentos de crise?

É um momento delicado para o varejo e para pequenas empresas, as pessoas estão em casa, acumulando mantimentos com medo do caos. O medo da necessidade e da falta de recursos é grande e está moldando, mais uma vez, o comportamento do consumidor.

Uma mudança drástica nos modelos de negócio


É uma grande verdade que a maioria das empresas não estava preparada ou 100% a favor da implementação do trabalho remoto, ou home office. 

Pensando de forma sarcástica, é interessante que foi necessária uma pandemia para que as empresas pudessem pensar em sua totalidade no bem-estar de seus funcionários, e que o home office é algo positivo de diversas formas, não apenas pela colaboração com a medida de isolamento. 

Diversos modelos de negócio operam em meios digitais, com pouca necessidade da presença física de seus colaboradores. Vemos agora que essa é a solução que vai permitir que muitas empresas continuem firmes em suas operações durante a crise.

Além da responsabilidade social e empatia, esse momento foi um divisor de águas que trará grandes mudanças no mundo corporativo para sempre. O trabalho remoto é uma opção e diminuir gastos com recursos hoje disponíveis, como: aluguel de salas, internet, água e energia, pode se tornar fundamental. 

As dificuldades de conseguir se adaptar aos momentos de crise


Por outro lado, os modelos de negócio e gestores mais conservadores, inclusive os segmentos envolvidos em cadeias produtivas alimentícias, estão vivendo períodos de dificuldade por não enxergarem uma maneira de se adaptarem ao momento atual. 

O que tem trazido uma consequência, também, para os stakeholders, que possuem a necessidade de manter o emprego e a renda. Os que trabalham de forma “braçal” e, também, os que precisam transportar produtos para realizarem o abastecimento das cidade estão se vendo prejudicados com o fechamento do comércio, como restaurantes, por exemplo. 

É preciso parar um momento e pensar sobre maneiras de conseguir se adaptar, da forma que for possível, ao momento atual e ao futuro, que ainda é incerto.

O que é preciso fazer?


A primeira coisa a fazer é analisar os impactos em todas as área da empresa e em todos os que fazem parte dela. Estudar a fundo o caixa da empresa para, assim, ter ideia do que pode ou não ser feito. Afinal, ninguém quer prejuízos e, muito menos, contribuir para o prejuízo de seus stakeholders. 

Depois disso, é necessária uma conversa transparente com seus colabores, a fim de saber como eles estão se sentindo, o que querem é o que estão dispostos a fazer para contribuir com a empresa. Isso é essencial: uma equipe disposta a contribuir para o sucesso da empresa. 

Dentro dessa reunião você obterá muitas ideias e insights de diversos pontos de vista. Juntando tudo isso, você chegará na decisão que vai contribuir com o bem-estar de todos. Isso irá gerar, também, um posicionamento de marca que moldará a forma como seu público percebe a sua empresa. 

Aqui na Gruv, optamos pelo formato de home office e toda a gestão da empresa está sendo feita de forma online. Usamos diversas ferramentas que permitem um trabalho colaborativo e próximo, mesmo que cada Gruver esteja em sua casa.

Por isso, é importante aproveitar esse momento para verificar quais as medidas devem ser adotadas para que, em crises futuras, a empresa tenha mais recursos disponíveis, como: treinamento dos colaboradores dentro do trabalho remoto, uma gestão de demandas que possa ser realizada online e, processo de venda digital e automatizado. 

Isso, a partir de agora, será fundamental, não somente como um reflexo da crise no mercado, mas o que ela causou no comportamento do consumidor. Peça fundamental que, fará praticamente todo o seu processo de compra de forma online, inclusive, a de insumos básicos de abastecimento. 

Dessa forma, investir em marketing digital também será primordial nesse momento. Como as pessoas estão em casa consumindo TV e, principalmente, a internet, publicidades externas não serão consumidas. Consequentemente, serão esquecidas.

Para aumentar a produtividade de sua empresa no home office, leia aqui o novo artigo da Gruv sobre calls e videoconferências.