Você já ouviu falar de eSports? São esportes eletrônicos, uma variedade de modalidades de competição de jogos, um universo de oportunidades para o marketing digital. Basicamente, tudo começou nos Estados Unidos, onde algumas pessoas montavam competições de videogames que atraiam pequenas plateias em escolas e universidades.

Com a expansão da mídia digital, o crescimento e reconhecimento das experiências com jogos foram difundidos. Isso se intensificou com os dispositivos móveis que proporcionam experiências imersivas, como os famosos Angry Birds, Candy Crush e Clash Royale.

Posteriormente surgiu a gamificação, que se tornou estratégia para diversas marcas. Basicamente são pontuações e gratificações como recompensa de conquistas alcançadas, normalmente divididas em níveis de dificuldade.

Essa essência de competitividade impulsionou a divulgação dos jogos mais conhecidos de hoje, como Starcraft, League of Legends, PlayerUnknwon’s Battlegrounds e Counter Strike. 

Continue lendo e descubra como os jogadores ganharam destaque nas mídias digitais e como o marketing impulsionou essa tendência.

Influenciadores no mundo dos jogos

O crescimento de campeonatos internacionais de jogos competitivos começou a chamar atenção das marcas. Por isso, elas precisaram se adaptar aos novos tipos de divulgações no digital.

Isso aumentou o reconhecimento dos influenciadores, que sempre trouxeram conteúdo e relevância para suas audiências. As marcas aprenderam como usar a sua imagem para divulgar seus produtos e criar ações inspiradoras para seu público-alvo. Já não se trata mais de vender produtos, mas de vender experiências, e a prova social é o influenciador.  

Não há uma divisão exata, mas existem 3 tipos de influenciadores de games: os pró-players (os jogadores profissionais que participam de campeonatos), os streamers (que transmitem seus jogos ao vivo) e os produtores de conteúdos (postam vídeos no YouTube e outras mídias).

Os pró-players estão no mercado competitivo de jogos, que entram em campeonatos mundiais e formam equipes profissionais. São considerados atletas, e recebem apoio de técnicos, nutricionistas e psicólogos, tudo para melhorar seu desempenho.

Os streamers, diferentes dos jogadores profissionais, jogam por prazer, seja para mostrar como faz determinada missão no jogo ou como derrotar aquele chefão. Eles utilizam as plataformas de streaming (Twitch TV, Nimo TV, Mixer). Normalmente o público assiste gratuitamente, mas para participar de promoções exclusivas dos streamers precisa ser assinante.

Por fim, produtor de conteúdo abrange qualquer tipo de jogador que cria vídeos, blogs e podcasts. Geralmente são esses tipos de conteúdos que viralizam e, consequentemente, tornam seus criadores muito mais conhecidos.

Agora, um streamer pode ser produtor de conteúdo? Sim. E um produtor de conteúdo pode ser jogador profissional? Também. Esta é a essência do multicanal, são várias possibilidades para vários tipos de públicos, não há limites para a criatividade. 

jogadores profissionais

Marketing digital na área de jogos

Há um grande engajamento por parte dos fãs de jogos, onde a comunidade é participativa e sempre presente nas redes sociais.  Para aproveitar este engajamento, as desenvolvedoras de jogos disponibilizam conteúdos exclusivos in-game (dentro do jogo, através de atualizações). Inclusive, usam parte do dinheiro na arrecadação dos prêmios mundiais com essa técnica. 

Isso mostra que a ideia de um jogo ser distribuído gratuitamente não quer dizer que ele não vai ganhar dinheiro. A propósito, um ótimo exemplo é a campanha de 2019 de Dota 2 (Valve). Cerca de 25% dos itens comprados no jogo foram para a premiação final, que totalizou US$32,8 milhões, o valor mais alto da história dos eSports. Lembrando que Dota 2 é um jogo totalmente gratuito, e a jogabilidade é a mesma para todos.

Sabemos que o marketing de influência é uma tendência, e para a divulgação do jogo Fortnite não foi diferente, sucesso na certa. A primeira transmissão do jogo, em 2018, contou com o youtuber Tyler Belvins e os rappers Drake e Travis Scott. A partida teve, simplesmente, uma audiência de 635 mil pessoas, recorde na época.

Outro exemplo é um dos maiores eventos mundiais, o Campeonato Mundial de League of Legends (Riot), que é comparado ao Super Bowl, maior evento de esporte do mundo. Em 2019, o campeonato teve presenças de grandes marcas, como Louis Vuitton e Mastercard, além de quebrar o recorde de espectadores simultâneos na plataforma Twitch TV.

Para os patrocinadores, uma estratégia é buscar a persona que se identifica com o influenciador e divulgar a sua marca através dele. Os influenciador que defendem a marca são nomeados “embaixadores”, quer dizer que a marca acredita que o conteúdo dele é reflexo dos seus valores como empresa.

Conclusão

Com esses dados enxergamos a proporção do crescimento do mercado de games e as oportunidades no marketing digital. As marcas não estão sendo somente patrocinadores, mas estão criando conteúdo para este tipo de entretenimento.

Vimos também que o consumo de streamings é uma tendência, visto que a quantidade de plataformas disponíveis dão o poder de escolha ao espectador. Isso fortalece a questão do multicanal, que tanto é aproveitado no marketing digital.

O mercado brasileiro já abraçou esse movimento, e times brasileiros de futebol já patrocinam equipes de pró-players, como o Flamengo e o Corinthians. Grandes empresas internacionais como Claro, TIM, Coca Cola e RedBull também já aderiram.

Além disso, há a necessidade de profissionais para a estruturação desses eventos e produção de conteúdo, o que tem alavancado a especialização na área e a criação de empregos.

É importante as marcas estarem atentas aos jogadores que tanto cativam a audiência e como criam tendências, pensando não só no seu produto, como também a forma que ele deve ser apresentado. 

Assessorias, como a FD Comunicação, trabalham para manter um bom relacionamento com os influenciadores e ajudar em possíveis falhas na comunicação. Alinhar as vontades e valores da marca com o influenciador é a chave.

Para entendermos a importância da boa convivência, Fernanda Domingues, CEO da FD Comunicação, cita: “Para se construir um relacionamento sólido com outra pessoa o ideal é que ambos tenham os mesmos interesses e falem a mesma língua. Por isso nosso time é composto por profissionais que gostam, entendem e jogam todos os tipos de games: mobile, MOBA, battle royale, FPS, RPG, casual.”

Curtiu nosso artigo? Entre em contato que vamos te ajudar com o marketing digital da sua empresa.