Reflexões 2018/2019

Estamos nos aproximando de 2020 – o início da próxima década – e, se a história nos ensinou algo, sabemos que essa transição será um forte momento de empolgação e desafios.

Todos os setores terão que apostar na reflexão ativa – ou reFLEXão – usando as experiências passadas e os insights do presente para se preparar para o futuro e planejar seus negócios.

O exercício será intelectual, físico e emocional, pois o futuro irá exigir mentes, corpos e espíritos ágeis.

Em 2019 e 2020, mais do que nunca, a flexibilidade será essencial. E o ponto de partida para inovação, inspiração e instigação.

É hora de abrir a porta para o futuro. Vem comigo?

A ERA MODERNA

Não é possível desfazer a globalização.

Os mapas sempre serão redesenhados e a população mundial continuará a mudar, não importa o que governos e marcas façam.

Com a reconfiguração dos países por meio da imigração, o conceito de nacionalismo será questionado: será que as fronteiras definem a nossa identidade?

Em 2019 e 2020, contestaremos os novos e velhos caminhos e veremos a ascensão de um consumidor multicultural – com características multirraciais ou multiétnicas – e que consegue transitar perfeitamente entre diversas culturas e padrões de consumo. Um novo desafio para as marcas.

OS SENTIMENTOS SÃO O FUTURO

Já falamos sobre isso por aqui. Em um mundo movido por dados, as empresas e marcas dependem cada vez mais de números e análises para obter insights e tomar decisões.

Porém, as emoções são as maiores decisoras de compra. E em 2019 e 2020, a expressão individual surgirá como uma reação radical a esse pêndulo e a qualia (as formas únicas pelas quais os indivíduos percebem a experiência) será tão importante quanto a informação quantificável, em se tratando de atingir os consumidores. Veremos que os dados não são ruins – eles só não são tudo.

LIGA E DESLIGA

A tecnologia se tornou uma forma de nutrição, mas, como qualquer alimento, o excesso pode não ser saudável.

À medida que as empresas inovam, elas precisarão fazer a transição de uma mentalidade que encoraja o tempo gasto na tela para a que estimula o tempo BEM gasto.

Os consumidores passarão a refletir sobre a diferença entre: estarem unidos física e digitalmente, e, entre estarem solitários e sozinhos.

No mundo 100% conectado de hoje, a pausa, que atualmente é associada à espera, será vista como um luxo e, não, como uma obrigação.

O futuro consistirá em se ter tempo para os presenciar momentos e, não, presenciar momentos no tempo aleatoriamente.

Com um passado, presente e futuro mais inclusivos, as identidades pessoais serão libertadas e todos os estilos serão celebrados, com mentes flexíveis e senso de imaginação.  

A sustentabilidade chegará a um novo patamar, sendo que as marcas começarão a integrar a integridade a cada área dos negócios. Deixaremos de viver com muito e passaremos a viver melhor. Você está preparado?

FONTE: WGSN